FR Promotora tem o melhor sistema de Renda Extra

sábado, 28 de julho de 2007

Tijolo ecológico possibilita construção de casas para famílias de baixa renda

Construir casas para famílias de baixa renda, gerar emprego e renda, além de contribuir para a conservação da natureza. Esses são os objetivos do projeto inovador dos ministérios do Trabalho e Emprego (MTE) e das Cidades, no programa Crédito Solidário, a Caixa Econômica Federal e a ONG Instituto Paixão Amazônica em 19 dos 52 municípios de Rondônia.

O Projeto Habitacional Plante uma Árvore utiliza a técnica do Tijolo Ecológico - que não é aquecido em altos fornos, o que retira do processo de fabricação a queima de madeira e combustível - conta com recursos do governo federal e das prefeituras - que doam os terrenos - na construção de 1.640 casas para população com renda de até três salários mínimos.
Pimenta Bueno, Ministro Andreazza, Cujubim, Alto Alegre dos Parecis, Vale no Anari e Theobroma serão os primeiros municípios beneficiados, com a entrega prevista para maio de 340 casas às famílias cadastradas pelas prefeituras. Contribuem também as companhias de água e energia de Rondônia e o Ibama, que repassa madeiras apreendidas no estado.

As casas têm 44 m² e dois quartos, sala, cozinha e banheiro. Cada moradia sairá por R$ 10 mil, sem juros, para serem pagos ao longo 240 meses, ou seja, pouco mais de R$ 65 por mês.
Usina de Produção - O Ministério do Trabalho e Emprego investiu R$ 332.098 no projeto para a construção e compra de equipamentos para trabalhadores cooperativados da primeira Usina de Produção de Elementos Construtivos com Solocimento Automática, que fabrica o tijolo ecológico em Pimenta Bueno, inaugurada ano passado.

A usina é responsável pela fabricação de tijolos e bloquetes ecológicos para a construção de casas populares, beneficiando 2.240 famílias de baixa renda. Elas, unidas em cooperativa, são responsáveis pela construção das casas e fabricação do material, que serão também utilizados na pavimentação, construção de escolas, creches, postos de saúde e hospitais, gerando milhares de postos de trabalho e renda aos cooperados.

Simples e barato - A utilização do chamado "Tijolo Ecológico" teve início em Volta Redonda, no Rio de Janeiro, em 2004. Atualmente, é comum seu uso em vários projetos no Brasil. O processo de fabricação é simples e barato. A mistura de pó-de-pedra, cimento e cal é prensada a 12 mil quilos de pressão e colocada em água para endurecer, dispensando o uso de forno para cozimento. Auto-encaixável e com dois furos no meio, tornando desnecessário quebrar a parede para fazer instalação elétrica e hidráulica.

Fonte:

http://www.superobra.com/

2 comentários:

Celso disse...

Preciso saber o endereço, ou o telefone da fábrica que produz os tijolos ecológicos em Pimenta Bueno/Rondôna

Théo disse...

Não sei o que passa na cabeça desse povo... fala tanto do tijolo ecológico, que tem fabrica em Pimenta mas em momento algum dizem qual empresa... falta de consideração com os leitores